Warning: include_once(/home/lanuxland/lanux.com.br/wp-content/plugins/wordpress-support/wordpress-support.php): failed to open stream: Permission denied in /home/lanuxland/lanux.com.br/wp-settings.php on line 210

Warning: include_once(): Failed opening '/home/lanuxland/lanux.com.br/wp-content/plugins/wordpress-support/wordpress-support.php' for inclusion (include_path='.:/usr/local/lib/php:/usr/local/php5/lib/pear') in /home/lanuxland/lanux.com.br/wp-settings.php on line 210
// LanuxLand 101 » 2008 » March
Too lazy to be ambitious, I let the world take care of itself. Ten days' worth of rice in my bag; a bundle of twigs by the fireplace. Why chatter about delusion and enlightenment? Listening to the night rain on my roof, I sit comfortably, with both legs stretched out. - Zen Master Ryokan (1758–1831)

Crazy sweet nothing

Posted: March 26th, 2008 | Author: | Filed under: Textos | No Comments »

Não. Você não pode colocar um nome, uma tradição ou até uma definição sobre o que é essencialmente real e verdadeiro. Presta atenção. Qualquer tentativa é, em si, um sonho, um erro, uma laranja pintada.

- Todo começo e fim é sem começo e fim: rest to be.

E a vida é ainda mais bela quando a gente descobre que não há ninguém a quem recorrer – descobrir-se abrangentemente sozinho é a primeira constatação de amadurecimento que vale a pena. A segunda, é que não existe solidão verdadeira, nem mesmo na solidão como a conhecemos…

- Você está tão calado hoje…
- É que eu queria muito correr atrás da última segunda-feira… mas se eu correr, eu não vou alcançar nunca.


Bic com tampa de algodão

Posted: March 19th, 2008 | Author: | Filed under: Textos | 3 Comments »

É isso, Isabel. Esquece. Solta no chão, deixa quebrar e se inspira com o barulho engraçado e libertador de cacos voando.

No Big Bang foi assim, e se você prestar atenção, vai ver que estamos sentindo, até hoje, as cócegas dessa explosão que não acaba nunca.

Então, para começar, esquece as palavras. E as imagens, as interpretações, as opiniões.

No fundo, não é difícil. Largar o que se tem é uma das coisas mais fáceis que existem…

Fica com o que sobrar e levanta para saborear o mundo.

Porque você é tão mundo quanto todo o resto. Tão mundo quanto aquela folha voando confiante ali do lado, ou esse movimento independente que acontece nos teus pulmões neste exato momento: Big Bang Isabel.

Para finalizar, esquece também o mundo.

Ele não precisa de você.

Let it all drop, my love.

Veja com o coração e veja bem… pois como certo disse Seu Machado: a melhor definição de amor não vale um beijo.


Oddyana em 5 cores puras

Posted: March 15th, 2008 | Author: | Filed under: Textos | No Comments »

Caracteres tibetanos encravados em ouro sobre dentes puídos. Ela é assim. Pele de luz encarnada, a exalar a raiva cristalina dos tempos sem fim nem começo, essência da mais pura paz.

Dois compassos e um chacoalhar agudo reverberando a corrente dos ossos:

- Não! Nada a ser alcançado e nenhum lugar a chegar. Numa mente sem lados, só existe alívio.

Olhai os lírios do campo – ela sussura enfim. Pois nunca é o que você faz ou quer… é o que deixa de fazer e de querer que realmente importa.