Warning: include_once(/home/lanuxland/lanux.com.br/wp-content/plugins/wordpress-support/wordpress-support.php): failed to open stream: Permission denied in /home/lanuxland/lanux.com.br/wp-settings.php on line 211

Warning: include_once(): Failed opening '/home/lanuxland/lanux.com.br/wp-content/plugins/wordpress-support/wordpress-support.php' for inclusion (include_path='.:/usr/local/lib/php:/usr/local/php5/lib/pear') in /home/lanuxland/lanux.com.br/wp-settings.php on line 211
// LanuxLand 101 » 2006 » April
Too lazy to be ambitious, I let the world take care of itself. Ten days' worth of rice in my bag; a bundle of twigs by the fireplace. Why chatter about delusion and enlightenment? Listening to the night rain on my roof, I sit comfortably, with both legs stretched out. - Zen Master Ryokan (1758–1831)

Ten Chi

Posted: April 30th, 2006 | Author: | Filed under: Textos | No Comments »

Não comece de novo com suas filosofias de botequim, Antônia… Tem gente que não entende o mundo e pronto.

- Traga-me seu problema aqui, em mãos, que te mostro a solução.

Interferência é conflito. É brigar consigo mesmo. O mundo é você, sempre foi e sempre vai ser… Tem neguinho que sabe disso há 5 mil anos!

É a simplicidade que atrapalha a percepção? Sei não.

Sei que querer o que já se tem é tão engraçado quanto uma lagartixa listrada em aula de yoga…

Eu, se fosse você, não bricava disso não…


Pequeno post it syncmaster

Posted: April 26th, 2006 | Author: | Filed under: Textos | 2 Comments »

Olhou-a pela fresta da janela de pérgolas do bar. Copo na mão, balanço no falar. Esperou-a passar ao lado pra dizer-lhe o nome. Ela respondeu com o dele. Coincidência boa não dá aviso. Uma bebida, duas por favor… entre olhares, cigarros e drogas de esquina beijaram-se como não faziam em outros há tempos.

Red Chinatown atolado de livros no chão. Tente-me e te tiro o medo da vida…

Dali pra lugares variados e amigos de primeiro nome. O mundo é só ambiente. Preocupar-se com ele é desnecessidade. Descobriram isso numa manhã de sábado um ano e 3 meses depois. Viveram sem um olhar de repreensão desde então…


Tomate com manjericão

Posted: April 17th, 2006 | Author: | Filed under: Textos | No Comments »

Um dia santo pode começar com croissants e cafe au lait. Ou não. Um francês amanteigado com o pingado de padaria pode ser indício de brisa fria ao entardecer.

Sei não, Gonzales. Suspeito que a vida mansa está no olho e ninguém se dá ao trabalho de conferir. Viu não? Acho que só arrancaram aquela árvore do sorriso folgado lá na esquina, porque pessoa nunca restou a reparar nela…

Segue a fila, tio… que é questão de tempo. Desperdício de beleza faz muito é mal.


A Música não está no piano

Posted: April 7th, 2006 | Author: | Filed under: Textos | No Comments »

Ao olhar o colo no espelho do elevador, Wanda envelhece. Uma dobra cá, um sinal acolá. Desconhece como não ser. O tempo enfada a pele, e se deixar, todo o resto vai junto.

Terceiro andar e ainda faltam 12. Memoriais embaçados escritos com a mão esquerda : a gente lembra tão pouco do que já viveu…

No anoitecer ao lado dela, um susurro vem e acolhe:

- Fala-me de sonhos, Wanda, que de vida meu pulmão já anda cheio….


Pocket reference thought

Posted: April 3rd, 2006 | Author: | Filed under: Textos | 3 Comments »

Pois é…

Pode até ser que seja verdade. Ou (outra vez?!) maldade. O certo é que acreditar no certo é ingenuidade dessas de 0800. Call me love, baby… guessing games do not last forever.

- Nasceu, fudeu. Já dizia aquele infante ancião em seus prolixos discursos de ateu (praticidade é tudo).

A gente não nasce porque quer. Não respira porque quer. Não ama porque quer.

Nem o céu nubla por acaso… sempre é mais pelo nosso descaso mesmo.